fbpx

Cuidados com pacientes acamados II: Prevenção e cuidados com lesão por pressão.

Home/Colunistas, Notícias da Cidade/Cuidados com pacientes acamados II: Prevenção e cuidados com lesão por pressão.

Componente importante das 6 Metas Internacionais de Segurança do Paciente, a prevenção de lesão por pressão melhora a qualidade de vida do paciente acamado, inclusive em casa.

 

Na matéria de hoje quero focar em você, que tem um familiar acamado em casa, seja por alguma doença crônica ou acidente. De uma forma bem simples de clara.

Na coluna passada, falei um pouco sobre os principais dispositivos e como se preparar para cuidar do seu ente querido em casa e hoje, vamos tratar sobre as temidas lesões por pressão que podem acometer a maioria desses pacientes, principalmente idosos.

O National Pressure Ulcer Advisory Panel (NPUAP) anunciou uma mudança na terminologia de “úlcera por pressão”. Agora, usamos o termo “lesão por pressão” para descrever com mais precisão as lesões em peles intactas e ulceradas.

No hospital, usamos uma escala para mensurar o tamanho e a gravidade das lesões, chamada Escala de Braden.

A lesão por pressão, é uma lesão causada na pele, principalmente em locais com proeminências ósseas, onde o paciente permaneça mais tempo deitado. Fatores como fricção na cama, umidade e muito tempo sobre o local, a má nutrição do paciente, podem ir aos poucos ocasionando lesões, que são divididas em estágios que devem ser observados:

  • Estágio 1: “Vermelhidão na pele”- De acordo com o novo protocolo,  já é uma lesão se você observar alguma região da pele do seu familiar acamado, principalmente em locais com proeminências ósseas. A pele permanece intacta, sem machucados, mas essa vermelhidão já anuncia que algo está errado e se não for cuidada, pode gerar uma ferida. A área pode estar um pouco mais tensa e quente.

 

  • Estágio 2: “Aparecimento de laceração da pele”-  Nesse caso, já ocorreu o rompimento da epiderme, que é a primeira camada da pele, expondo a derme, segunda camada, mas ainda é uma ferida mais superficial mas que exige muitos cuidados. Ela pode gerar dor, desconforto e em alguns casos, ter um pequeno sangramento ou soltar um líquido seroso.

 

  • Estágio 3: “Perda total da espessura da pele”- Nesse estágio, já pode-se observar a hipoderme, terceira camada da pele, onde podemos ver a gordura e apresenta bordas que começam a se enrolar e engrossar, (epíbole). Tecido bem avermelhado e com secreções. Ela costuma ser um pouco profunda, mas essa profundidade pode variar de acordo com o local do corpo onde ela se encontra.

 

  • Estágio 4: “Exposição da região muscular”- Nesse estágio bem mais profundo, podemos observar tendões, a fáscia muscular, osso, cartilagem e até ligamentos. Pode haver a presença de tecido necrosado, aquele tecido bem escuro, que significa que está sem vida e tecido esfacelado, com coloração marrom, amarelada ou até esverdeado, que pode estar solto ou bem preso á região afetada. Pode ter ou não presença de pus e outras secreções, com ou sem odor fétido, gerando bastante incômodo ao paciente.

 

  • Lesão por pressão não classificável: Isso acontece quando a lesão está em um estágio avançado e com tanto tecido necrosado e esfacelado cobrindo todo o seu leito, que fica difícil mensurar qual sua profundidade.

 

  • Lesão por pressão tissular profunda: A pele pode estar  intacta ou não, com área localizada de coloração vermelha escura, marrom ou arroxeada que não embranquece ou uma espécie de bolha com secreção sanguinolenta. Dor e mudança na temperatura podem aparecer. A descoloração pode apresentar-se diferente em pessoas com pele de tonalidade mais escura.

 

  • Lesão por Pressão Relacionada a Dispositivo Médico: Esse tipo de lesão pode ocorrer em locais onde o paciente possua algum dispositivo, como sonda, acesso venoso ou catéter.

 

Uau, é muita coisa não é? Tentei resumir da forma mais simples alguns passos para você poder identificar caso apareça alguma lesão mas, e a prevenção e cuidados?

 

  • Primeiramente, quando você receber um familiar acamado em casa, além de buscar adaptar o ambiente onde ele irá ficar, observe a adapte também a cama, o leito onde ele passará a maior parte do seu tempo. Uma dica, é utilizar aqueles colchões “caixa de ovo”. Eles tem esse nome pelo seu formato e semelhança com a caixa de ovo. Os seus pontos elevados servem como estimulação para a circulação e ajudam na prevenção de lesões.

 

  • Mantenha o seu familiar sempre confortável, observando se o lençol não está enrolado ou muito frizado embaixo do paciente. Mantenha o mesmo sempre bem esticado, limpo e  seco.

 

  • A mudança de decúbito ( posição) é fundamental. A maioria das lesões por pressão acontecem pelo extenso tempo que o paciente passa deitado na mesma posição. O ideal, é que essa mudança seja realizada pelo menos de duas em duas horas durante o dia, mas, observe bem a forma que irá realizar essa mudança, se o seu familiar tem algum dispositivo ou lesão que o impeça de se virar para um determinado lado.

 

  • No momento do banho, seja no leito ou no chuveiro, observe bem cada parte do seu corpo, lembrando que a vermelhidão local já pode ser indicativo de que uma ferida poderá se abrir ali, por isso, proteja as proeminências ósseas do paciente. Uma dica simples, é encher luvas de procedimento com um pouco de água em temperatura ambiente e colocar abaixo dessas regiões ( mas não encha muito senão pode estourar com o peso), como ombros, cotovelos, e tornozelos.

 

  • Uma boa alimentação e nutrição também é muito importante para prevenir ou cicatrizar uma lesão de dentro pra fora. Seja por via oral ou por sonda. Se não houver restrições, estimule que o seu familiar sempre beba bastante água para manter a pele hidratada.

 

  • Caso apareça alguma lesão, não entre em pânico. Entre em contato com a equipe de saúde do posto mais próximo da sua casa para pedir orientação sobre como realizar o curativo, ou da equipe que atendia o seu familiar no hospital. Não realize curativos sem as instruções de um enfermeiro ou médico pois cada estágio da lesão precisa de um tipo de curativo diferente.

 

  • A fralda também pode causar lesões ou queimaduras, por isso, esteja sempre atento ás trocas de fraldas, caso o seu familiar esteja em uso. Mantendo a região sempre hidratada, com cremes neutros de preferência.

 

  • Os idosos costumam ter a pele bem mais sensível, apresentando umas manchas roxas, chamadas de manchas senis. Elas deixam a pele mais sensível e podem até se soltar gerando feridas, por isso, mantenha a pele do idoso sempre bem hidratada.

Creio que essa foi a matéria mais longa que escrevi aqui, mas é impossível falar em prevenção de lesões e cuidados, sem citar o máximo possível para pode ajudar vocês. Cuidar de um paciente acamado não é fácil, por isso na dúvida, procure um profissional da saúde para te orientar da melhor forma. Estamos aqui pra isso!

Espero de coração ter ajudado com essas orientações. Nos próximos dias irei postar um vídeo mais completo sobre esse tema no meu Instagram! Dúvidas? Entre em contato comigo!

Instagram: @prof.nadia_cst

 

Eu sou Prof. Enf. Nádia Teixeira e temos um encontro aqui ás quintas-ferias na coluna Café com Saúde.

 

COMECE O SEU DIA COM MAIS SAÚDE E INFORMAÇÃO!

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.